Recife Bom de Bola

  • Notícias

Categorias Sub 11 e Sub 13 estreiam no Recife Bom de Bola

11.10.2017

Chegou a vez dos atletas inscritos nas categorias Sub 11 e Sub 13 darem o show em campo dentro do campeonato da Prefeitura do Recife

Jovens atletas inscritos no Recife Bom de Bola começam, a partir deste sábado (14) e domingo (15), sua participação no campeonato de várzea que faz do futebol uma ferramenta de inclusão social. Iniciativa da Prefeitura do Recife, realizada por meio da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, a competição conta com quase 8 mil atletas inscritos em sete categorias. Com os jogos deste fim de semana, os times do Sub 11 e Sub 13 dão início a sua 1ª fase dentro do torneio.

A categoria Sub 11 contará com oito jogos neste fim de semana, enquanto o Sub 13 terá 18 jogos. Serão quase 200 atletas em 16 campos de várzea. Também neste fim de semana vai acontecer um jogo do Sub 15 e um jogo do Sub 17, ainda para identificar quais grupos avançam para a 3ª fase, fase da competição em que essas categorias estão.

Ao todo, o Recife Bom de Bola conta com quase 400 times inscritos, divididos nas seguintes categorias: no Sub 11, com 21 times; Sub 13, com 38; Sub 15, com 51; Sub 17, com 73; Veterano, com 10; Feminino, com 6; e o Aberto com 196 equipes.

O campeonato teve início em agosto e segue até dezembro, revelando talentos e garantindo finais de semana de muita torcida e bola rolando nos campos de várzea da cidade. No fim da competição, os campeões e vice de todas as categorias serão premiados com troféus e medalhas. Os terceiros colocados, além dos melhores goleiros e dos artilheiros da competição, também receberão medalhas.

A edição 2017 do Recife Bom de Bola conta com algumas novidades como a entrega de cinco bolsas de estudos, em parceria com a Uninassau, para os destaques da competição; parceria com clubes da cidade para a participação de olheiros durante os jogos; capacitação para os profissionais envolvidos no projeto, como o Fórum Bom de Bola, que promoveu palestras em nutrição esportiva, gestão esportiva, arbitragem e preparação física; além de um curso de arbitragem para 50 pessoas, sendo 30 delas indicadas pelas comunidades e os outros 20 profissionais envolvidos no programa.